Caires Informática

As Melhores Soluções

Informações:

11 2917-6047
contato@cairesinformatica.com.br

Arquivos da Categoria: Notícias

Fazenda irá descontinuar emissores gratuitos da Nota Fiscal Eletrônica e Conhecimento de Transporte Eletrônico em 2017

Nota

ICMS-SP: Fazenda irá descontinuar emissores gratuitos da Nota Fiscal Eletrônica e Conhecimento de Transporte Eletrônico em 2017

 A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo informa que a partir de janeiro de 2017 os aplicativos gratuitos para emissão da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) e do Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) serão descontinuados.

Com a gradual adesão das empresas aos sistemas de documentos eletrônicos, o Fisco Paulista verificou que a maioria dos contribuintes deixou de utilizar o emissor gratuito e optou por soluções próprias, incorporadas ou personalizadas a seus sistemas internos.  No mercado há muitas opções de emissores, alguns deles com uma versão básica gratuita.

Os emissores gratuitos são oferecidos pela Secretaria da Fazenda aos contribuintes desde 2006, quando teve início o processo de informatização dos documentos fiscais e sua transmissão via internet com o objetivo de massificação do seu uso. Apesar dos investimentos realizados, recente levantamento da Secretaria da Fazenda aponta que o total de NF-e?s geradas por empresas que optaram por emissores próprios somam 92,2%. No caso do CT-e, o número é ainda maior: 96,3% dos documentos são gerados por emissores próprios.

Os contribuintes que tentarem realizar o download dos emissores de NF-e e CT-e receberão a informação sobre a descontinuidade do uso dos aplicativos gratuitos. A partir de 1º de janeiro de 2017 não será mais possível fazer o download dos emissores.

A Secretaria da Fazenda recomenda que os usuários que já tenham o aplicativo instalado, façam a migração para soluções próprias antes que a introdução de novas regras de validação da NF-e e do CT-e impeçam o seu correto funcionamento.

 Fonte: Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo

Microsoft promete suporte ao Windows 10 até 2025

Todos os sistemas operacionais têm uma vida útil, e a do Windows 10 já está definida: a Microsoft mantém sua política de 10 anos de suporte grátis, prometendo encerrá-lo no dia 14 de outubro de 2025.

O prazo é o mesmo que a empresa tem feito com as últimas versões do Windows. A primeira parte do ciclo de vida do W10, chamada “suporte base”, será concluída em 13 de outubro de 2020, enquanto a segunda parte, o “suporte estendido” vai até 2025.

Se você não conhece o jargão da Microsoft: “suporte base” significa, resumidamente, que o sistema operacional ainda pode ganhar novos recursos e atualizações que não são focadas apenas em segurança. Quando o produto chega ao “suporte estendido”, ele terá só correção de falhas de segurança até o dia em que ele for descontinuado.

Apesar de a informação significar que “tudo continua igual”, ela é extremamente importante devido à nova visão da Microsoft para o Windows. Terry Myerson, afirmava que as atualizações do sistema serão grátis “durante toda a vida útil do dispositivo”, o que gerou alguma controvérsia.

FIM DO SUPORTE AO WINDOWS SERVER 2003/R2

O suporte para o Microsoft Windows Server 2003 e o Windows Server 2003 R2 termina 14 de julho de 2015, Se você estiver executando o Windows Server 2003, está usando uma tecnologia que possui mais de dez anos. Neste tempo, muitos aperfeiçoamentos substanciais foram realizados para ajudar empresas como a sua a competirem melhor no mercado atual.

ENTENDA O SIGNIFICADO DISSO E POR QUE VOCE DEVE SE PREOCUPAR:

ATUALIZAÇÃO DE SEGURANÇA não serão mais oferecidas, deixando suas instâncias de Windows Server 2003 ainda instaladas em risco.

Seu ambiente não passará em TESTE DE CONFORMIDADE e algumas organizações não irão mais fazer negócios com a sua empresa.

Instancias virtuais e físicas da versão 2003/R2 ESTARÃO VULNERAVEIS e também não seriam aceitas em uma auditoria.

Muitas aplicações também vão DEIXAR DE SER SUPORTADAS, pois elas estarão em execução em sistema operacional que não será suportado.

Os CUSTOS DE MANUTENÇÃO DE HARDWARE velho aumentarão, também adicionando os custos de implantação de sistemas contra invasão.

 

Falencia do Windows XP

Estou de Luto, você deixara saudades!!!!!
É hoje. Neste dia 8 de abril de 2014 a Microsoft encerra por definitivo o suporte ao Windows XP. Na prática isso quer dizer que a empresa de Seattle não vai mais se preocupar em corrigir bugs ou liberar correções de segurança para possíveis… brechas no sistema operacional, deixando seu PC – se você é um dos milhares de usuários que ainda estão nessa plataforma – à mercê de possíveis ataques de cibercriminosos.

Junto com o Bug do Milênio (ou Bug do Ano 2000), o fim do suporte ao Windows XP é um dos eventos mais divulgados – e mais ignorados – da indústria de computadores. A Microsoft não economizou palavras para pintar cenários de caos para quem insiste em continuar com o velho sistema, mas mesmo assim empresas, usuários corporativos e usuários domésticos ainda olham com curiosidade para o assunto mas não aceleram na direção de resolvê-lo.

No Brasil, o XP ainda é usado em 10% dos PCs em atividade, segundo informações recentes da Kaspersky Security Networks. Dados que nossos leitores corroboram: pela métrica do Google Analytics, 11,9% dos usuários que acessaram nossos sites nos últimos 30 dias o fizeram usando PCs com XP instalado.

Mundialmente são milhares de máquinas, que vão de PCs e notebooks domésticos e corporativos até caixas eletrônicos (ATMs) de bancos. A empresa NetApplications disse recentemente que em fevereiro de 2014 a base de computadores com XP representava 30% do bolo Windows, enquanto que 47% das máquinas já usavam Windows 7 e uma fatia menor, de 10,6% utilizava um combinado dos novíssimos Windows 8 e 8.1.

E o problema não é apenas nas casas, mas nas empresas. Segundo a IDC, 30% dos PCs corporativos em empresas de todos os tamanhos usam ainda o XP e a base deverá encolher para 20% até o final de 2014, diz Al Gillen, analista da IDC

As implicações para as empresas que continuam a usar o Windows XP, um sistema operacional lançado pela Microsoft em 2001, são grandes por conta dos bugs e das vulnerabilidades decorrentes da falta de correções: vírus, roubo de informações confidenciais e roubo de dados financeiros, para citar alguns. “Uma vez que o suporte se encerre e o XP não receber mais correções, todo PC estará em risco”, avisa Tom Murphy, diretor de comunicações da Microsoft para a divisão Windows.

Foram sete anos de avisos e nós colaboramos. Se você ainda precisa tirar dúvidas ou quer se manter firme com o velho companheiro, confira a lista de links ao lado. Bom dia, e boa sorte!

*Com material de Computerworld, CIO e PC WorldVer mais

Brasil está perigosamente atrasado no uso do IPv6

Nota

O Comitê Gestor da Internet no Brasil publicou uma resolução (CGI.br/RES/2013/033) alertando todos os provedores e administrados de sistemas autônomos sobre a importância da efetiva migração para o IPv6. “Estamos adiantados na distribuição de blocos IPv6, adiantados no treinamento, mas atrasados no uso, em relação aos demais países. O pessoal não está entrando no jogo”, afirma Demi Getschko, Diretor-Presidente do NIC.br.
Segundo Demi, o IPv6 é responsável por apenas 0,5% do tráfego gerado na Internet brasileira hoje, proporção abaixo da média mundial, entre 1,75% e 2%. Em países como o Peru, que tem uma distribuição de endereços bem menor que a do Brasil, esse volume já chega a 3%. Já na França é de 5% e na Alemanha, de 4,5%.
A situação preocupa, porque a previsão é a de que os blocos IPv4 cheguem ao fim no país ainda no primeiro semestre de 2014, quando só será possível distribuir endereços IPv6.  Esse primeiro lote de usuários IPv6 corre o risco de não conseguir acessar boa parte dos sites brasileiros, segundo Demi.
O atraso no uso efetivo do IPv6 dificultará sobremaneira a expansão sustentável da Internet. Segundo a resolução do CGI.br, diversos entraves surgirão para:
◾Usuários, uma experiência de navegação pior, eventual falha no funcionamento de serviços específicos como VoIP, jogos online, compartilhamento de arquivos peer to peer, streamings de vídeo etc;
◾Provedores de acesso Internet, uma complexidade maior em suas estruturas, com custos crescentes;
◾Provedores de conteúdo e serviços, necessidade de adaptação nos sistemas de autenticação baseados no endereço IP, em sistemas de geolocalização e medições de seus usuários e serviços;
◾Segurança e estabilidade da Internet, dificuldade adicional na utilização de sistemas de segurança baseados em reputação dos IPs, como blacklists,  e no uso do IPSec;
◾Desenvolvedores, eventual quebra da conectividade fim-a-fim, dificultando a inovação.
Para tentar acelerar o processo, o CGI.br decidiu enviar ofício para o SBC e sua Comissão Especial em Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos (CE-ReSD), o LARC, a ANDIFES, a ABRUEM, a FEBRABAN, a Câmara-e.net, para as principais operadoras de telecomunicações, principais empresas e entidades representativas ou com destaque, em diferentes setores, reforçando a urgência da implantação do IPv6 e questionando sobre que medidas estão sendo adotadas ou planejadas, e seu cronograma de implementação. E apoiar a Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, do Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão na criação de um plano de metas para a adoção do IPv6 nas entidades do Governo Federal.
Recomendações adicionais serão enviadas à Rede Nacional de Pesquisa (RNP) para apoiar e incentivar gestores de TI dos diferentes campus universitários, na implantação do IPv6 e utilização dos Pontos de Presença existentes. Universidades são convidadas a oferecer cursos de formação, capacitação ou educação continuada em IPv6, assim como seus docentes são incentivados a utilizar em suas aulas estudos de casos, exemplos e laboratórios com IPv6. As instâncias do Governo Federal, Estadual e Municipal também são lembradas a incluir o suporte a IPv6 como requisito na compra de equipamentos e em seu provimento de acesso à Internet, além de estabelecer critérios e cronogramas de implementação em suas redes. (fonte IDGNow)

Revenda Oficial Antivírus Panda

A Panda Security é a desenvolvedora dos produtos Panda Antivirus, que cresce cada vez mais, devido a confiabilidade de seus produtos.

O diferencial do Panda Antivirus é a combinação de antivírus, antispyware, firewall e sistema de prevenção de intrusão, formando um conjunto de prevenção e combate de vírus, trojans, bots, etc.

Oferecemos a melhor opção de acordo com o tamanho da sua empresa e para utilizadores domésticos.